Poesia

BONJOUR PRIMAVERA

 

Ensaio um verso ao cruzar o ipê amarelo
Cantarolando com um assobio
Musicando com flores, e poesia
a paisagem outrora cinzenta do frio 

Quero me entregar a estação dos singelos prazeres, como se nunca fosse morrer
Observar o horizonte e, um pedaço de céu 
onde, as nuvens pairam como gaze 
e na leveza dos meus pensamentos renascer;
No movimento elegante dos pássaros
na suavidade do anoitecer, 
na alma, que se entrega a chegada da noite espaçada
viver por viver.

Adormecer na imagem das gaivotas na margem doirada do rio, 
Onde minha mente passeia
Descansar no teu silêncio, 
mergulhar no olhar, que sorri
amar por amar sem pensar em outra estação
encontrar o amor verdadeiro
antes da chegada do verão.